domingo, 29 de agosto de 2010

Corrida Vertical Brasileira. Prá cima e Avante!

O italiano Marco de Gaspari vence a etapa brasileira da Vertical Running
Conhecida como “vertical running”, a modalidade estreou no Brasil no domingo, 29 de agosto, o palco foi o edifício Nestlé, na Av. Chucri Zaidan, o quinto mais alto prédio da cidade de São Paulo. Nesse estilo de corrida uma das regras é que a prova só pode acontecer em escadarias de prédios com mais de cem metros de altura. A versão brasileira da Corrida Vertical contou com a participação de 600 inscritos sendo 60 atletas de elite com 10 convidados estrangeiros, todos com o objetivo de atingir o topo do prédio no menor tempo possível. A largada aconteceu no plano, 70 metros antes do primeiro dos 765 degraus divididos pelos 31 andares até a chegada no heliponto - que está a 142 metros do solo. Separados por três categorias: corredores de elite, amadores e caminhantes a iniciativa da patrocinadora Nestlé foi apresentar ao público essa modalidade de corrida ainda pouco praticada no país.

O vencedor foi o italiano Marco De Gasperi, campeão mundial de corrida de montanha que superou as expectativas, concluindo o trajeto em 3minutos e 45 segundos. A vencedora da categoria feminina foi a neozelandesa Melissa Moon, a terceira colocada foi Maria Cristina Bernardo, única representante do Brasil no pódio. Um destaque especial para o corredor de 56 anos, o carioca Sérgio Cordeiro que chegou ao topo do prédio subindo os 765 degraus descalço. A partir dessa edição São Paulo se candidata a integrar em 2011 o circuito mundial que conta com nove países sendo que o arranha-céu mais alto fica em Taiwan, com seus 2.046 degraus.Nesse circuito os participantes são apelidados de “corredores do céu”.
Marco Scabia, responsável pela agência organizadora do evento a Mix Brand Experience, comemorou o sucesso pela grande procura , as 500 vagas acabaram rapidamente e precisaram ser ampliadas para mais cem competidores. A corrida é tradicional em vários países, há 33 anos acontece nos EUA onde os corredores percorrem 1576 degraus nos 88 andares do Empire State Building. A prova contou com a supervisão da Federação Paulista de Atletismo e da Federação Internacional de Skyrunning.

Minha inesquecível primeira participação


Kamikaze: Na frente só até o 12º andar
A minha opinião sobre a Corrida Vertical: Uma prova diferente de tudo que já corri. A cada andar aumenta a solicitação de oxigênio e diminui a capacidade pulmonar, a falta de ar faz aumentar a sensação quase claustrofóbica, ou seja, a respiração fica ofegante principalmente após o 10º andar  e no 28º andar a minha visão começou a turvar  - Ufa... que bom que havia corremão e que só faltavam três andares para o final. Na minha categoria, 40 a 50 anos havia 60 inscritos, divididos nas 7ª e 8ª baterias e o que surpreendeu é que não tinha nenhum novato ou turista, eram todos  experientes, desde corredores de provas curtas e até ultra maratonistas, foram muito bem selecionados. Arrisquei e paguei pela minha estratégia “Kamikaze”, como a largada acontecia no plano, usei os 70 metros antes de começar a subir as escadas e dei um tiro forte com o objetivo de me manter em primeiro pelo maior tempo possível, pois, na minha cabeça só perderia posições perto do topo, avaliei a dificuldade de se ultrapassar alguém nas escadarias, pelo esforço infinitamente maior do que em condições normais que numa corrida de rua. Durante a minha bateria resisti em primeiro colocado até o 12º andar e fui ultrapassado por mais quatro participantes e fechei em 5º colocado.
Subi os 765 degraus em 6m 02s, fui o 43º geral e 8º na categoria, num ritmo de 5:01 km. Gostei!
A prova foi rápida e deixou a sensação de um beijo, parecia que a garganta tinha estreitado e a respiração só voltou ao normal após uma hora, não adiantava tomar água, também por causa do esforço excessivo e baixa umidade no ar.

Creio que todo e qualquer participante de uma corrida vertical, ao cruzar a reta final no topo do prédio não consegue dizer outra coisa a não ser :
Ufaaaa Acabou!
Quando será a próxima ?

Confira o resultado final em: http://bit.ly/czTsFw  

8 comentários:

satrijoe disse...

Desafio muito diferente mesmo!

Fiquei com vontade de procurar algo parecido por aqui. Sei que tem corridas similares em NYC e Chicago, não sei bem em Miami.

Pelo que vi no resultado geral, vc chegou em 8o. na categoria. Parabéns!

Mais uma prova pra colocar no currículo. Vini, Vidi, Vinci!

Abs,
Shigueo

Rê(nata) disse...

Caramba, que "doidera", rss
Pelo visto, um desafio e tanto!
Parabéns pela colocação, os aprendizados ficam para a próxima.

Vinicius Nunes disse...

Parabéns Vicent!
Mandou muito bem!!!
Abraço

aeckaue disse...

Não é fácil...qdo terminei minha bateria sentia as pernas tremerem muito, a garganta ardia e aquele gosto de sangue na boca... Parabéns a você Vicent, um abraço do amigo Fran - www.aeckaue.com.br

Corrida Vertical disse...

Oi Vicent,
Mais uma vez obrigada por sua participação e relato!
Continua nos acompanhando para saber em primeira mão as novidades para 2011.

Equipe Corrida Vertical

twitter.com/corridavertical

http://pt-br.facebook.com/people/Corrida-Vertical/100001447661398

ReMorishita disse...

Parabéns! Ótimo relato, eu achei que ia desmaiar lá pelo décimo oitavo andar, faltou glicose na veia, faltou pulmão... só a perna aguentou firme mas só ela não adianta eheheh! Fiquei feliz em não desistir e chegar!! Meu peito tá chiando até agora...cof cof

Yara Achôa disse...

Que beijo gostoso deve ter sido esse da Corrida Vertical... E pelo visto você se apaixonou, hehe. Parabéns, querido! Esse fôlego todo não é para qualquer um. Estou louca para reencontrá-lo em uma prova.
Super beijo,
Yara Achôa

Antonio C R Colucci disse...

Muito bom!
Abraço e Parabéns!
Colucci